Loading

INICIAÇÃO CIENTÍFICA NO ENSINO MÉDIO:  ASTRONOMIA O UNIVERSO NA ESCOLA

Rafael Machado Santana*

Tainara Ferreira Mousinho*

Gabryela Cerqueria Parente*

Thalia Sousa Silva*

Villeny Alves Silva*

Este artigo tem por objetivo apresentar relatos de experiências do projeto “Astronomia: o universo na escola”, do Colégio Estadual Angélica Ribeiro Aranha, localizado na cidade de Porto Nacional –TO. O projeto surgiu por demanda dos próprios estudantes e faz parte da proposta do Programa Novo Ensino Médio, dentro da disciplina eletiva de Iniciação Científica e Pesquisa. 

As atividades visam estimular o interesse dos alunos pela astronomia e ciências afins, complementando as disciplinas do currículo escolar com atividades criativas, críticas e científicas. As propostas buscam fomentar a compreensão da astronomia de forma geral e com quais ciências ela se relaciona. Além disso, estudos sobre alguns marcos nos estudos da História.

Por meio da experimentação lúdica, interativa e interdisciplinar, este projeto procurou aperfeiçoar o ensino, favorecendo os alunos a uma melhor compreensão de questões da Física, Matemática, Química, História entre outras. Tais atividades estão colaborando para o desenvolvimento da iniciação científica dos alunos, favorecendo o crescimento intelectual e crítico de cada um deles.

A Iniciação Científica no Colégio Estadual Angélica Ribeiro Aranha

O Colégio Estadual Angélica Ribeiro Aranha é uma das unidades de ensino contempladas com a configuração do Novo Ensino Médio no Estado do Tocantins. Essa reformulação se deu por meio da nova Política Nacional de educação, fundamentada na Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), nas novas Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio (DCNEM) e na Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Na prática, tivemos a ampliação da carga horária de 2.400 horas para de 3.000 horas, possibilitando 1.800 horas para formação geral básica e o restante destinado a itinerários formativos. Não se trata de uma mudança geral imediata para todas as instituições escolares do país, mas uma proposta com escolas-piloto – de maneira gradativa – tendo sua expansão para as demais até o ano de 2022. 

Essa nova formulação curricular influenciada pela BNCC acarretou na oferta de variados itinerários formativos, focados nas áreas de conhecimento, na formação técnica e profissional dos alunos deste colégio. Sempre tendo como base e meta o protagonismo juvenil, a autonomia na trajetória da aprendizagem e na elaboração e prática do projeto de vida, fornece possibilidades do discente em participar, ativa e significativamente do seu processo de ensino e aprendizagem.

As escolas que estão nessa primeira fase, seguem uma carga horária de no mínimo 1.000 horas para cada série do ensino médio, ofertando componentes curriculares eletivos como complementação desta referida carga horária. Segue a planilha 1, na qual se expõe o quadro de disciplinas ofertadas nesta fase de implementação do Novo Ensino Médio:

Tabela 1: Disciplinas Ofertadas – Novo Ensino Médio / Fonte: SEDUC- TO.

Em vista disso, a disciplina de Iniciação Científica e Pesquisa se estabelece como componente curricular em nosso colégio a partir de todo o processo e documentos que resumimos acima; uma disciplina que vem a contribuir significativamente para o desenvolvimento acadêmico destes alunos, em colaboração, é claro, com todos os outros componentes curriculares. Para explicitar melhor, trazemos a competência Pensamento científico, crítico e criativo da BNCC que resume o seu objetivo:

Exercitar a curiosidade intelectual e recorrer à abordagem própria das ciências, incluindo a investigação, a reflexão, a análise crítica, a imaginação e a criatividade, para investigar causas, elaborar e testar hipóteses, formular e resolver problemas e criar soluções (inclusive tecnológicas) com base nos conhecimentos das diferentes áreas” (BNCC, 2018).

A partir dessa proposta, buscamos propiciar aos alunos uma aproximação da ciência, desde como ela é produzida, divulgada, estimulando experiências diversas e o contato prático com pesquisadores, laboratórios, campos de pesquisa, metodologias, seja na visita a instituições de ensino, como também criando espaços dentro da própria unidade de ensino. 

Estabelecendo as atividades na interação entre teoria e prática, nas dimensões culturais, tecnológicas, científicas e do mundo do trabalho, na perspectiva das quatro áreas de conhecimento: Linguagens, Matemática, Ciências da Natureza e Ciências Humanas.

Outra questão importante a ser destacada é a priorização de objetos de estudo referentes ao contexto dos estudantes – interdisciplinaridade –, contexto este que tenha por base uma busca de resoluções para problemas sociais locais, regionais, nacionais, motivando os alunos a pensarem suas realidades. Além disso, suscitar o protagonismo dos estudantes, por meio da escuta de suas ideias, projetos e sonhos, sejam profissionais, sociais ou acadêmicos, se faz muito presente em nossas ações. Neste caso específico, o projeto de astronomia se revela no desejo e curiosidade dos alunos sobre o universo, e principalmente, em buscar soluções para problemas existentes na sociedade contemporânea. 

Relato de Experiência

A ideia do projeto “Astronomia: o universo na Escola” partiu dos próprios estudantes dentro da disciplina de Iniciação Científica e Pesquisa ainda no primeiro semestre de 2018. O projeto teve início no primeiro semestre de 2018 através de ações como pesquisas e estudos sobre variadas temáticas relacionadas ao tema e, em seguida, foi solicitado aos alunos para compartilharem o que estavam descobrindo e investigando. O projeto foi retomado no segundo semestre através de apresentações para as demais turmas da escola, as quais ocorreram por meio de seminários, grupos de estudos, discussões e debates. Para não perdermos o ritmo, o grupo estabeleceu reuniões quinzenais, além de apresentações trimestrais para a contínua divulgação dos estudos. 

Figura 1: Apresentação para turmas do Ensino Fundamental sobre as principais teorias sobre a Origem do Universo e outras curiosidades – Fonte: Prof. Rafael Machado.

Algumas abordagens feitas nesta disciplina são: Estudo e Método; Tipos de Conhecimento; Conhecimento popular; Conhecimento religioso; Conhecimento filosófico; Conhecimento científico; Exemplos; Ciência; Conceito; Componentes; Iniciação Científica e Formação do Pesquisador; Pesquisa; O que é; Encaminhamento; Formulação de um problema de pesquisa; Classificações das pesquisas; Delineamentos de uma pesquisa bibliográfica; Estudo de Campo; Estudo de Caso; Trabalho Científico na era da Informática; A Internet como Fonte de Pesquisa; Diretrizes para Estruturação e Elaboração de Trabalhos Acadêmicos; Aspectos Formais da Redação Científica – Referências e Citações Bibliográficas – Normas da ABNT.

Figura 2: 2° lugar na Categoria Instituição de Ensino Convidada. Área de conhecimento: “Ciências e Tecnologias” Com o Projeto: Astronomia o Universo na Escola. II Feira de Ciências, Tecnologia Arte do Colégio Sagrado Coração de Jesus/Porto Nacional-TO.

Uma ação de destaque já realizada pelos estudantes foi uma apresentação para estudantes do Colégio Estadual Pedro Ludovico Teixeira no primeiro semestre de 2019. Os estudantes apresentaram as pesquisas da disciplina que abordaram temáticas como a Administração Nacional da Aeronáutica e Espaço (Nasa), vida fora da terra e teorias de criação do planeta terra, as principais pesquisas do século XX, e expuseram sobre suas experiências particulares com a disciplina de Iniciação Científica. 

Comentários de membros do projeto

Rafael Machado Santana

Professor Responsável

 “Vejo que esse projeto é uma ferramenta que procura aperfeiçoar o ensino e favorece os alunos a melhor compreensão de questões científicas, por meio da experimentação lúdica e interativa, de maneira interdisciplinar. O melhor de tudo é que esse projeto foi ideia dos estudantes e que eles estão aproveitando ao máximo. Conseguimos fazer com que o aluno se sinta incomodado com problemas da humanidade, curioso para com o universo, e tudo isso sendo discutido em reuniões discentes, fora do padrão comum de uma sala de aula. O protagonismo dos alunos é a maior evidência de que estamos conseguindo uma aprendizagem verdadeiramente significativa”.

Figura 3: Apresentação por meio de sala ambiente em outra unidade de ensino – Colégio Estadual Dr. Pedro Ludovico Teixeira – Porto Nacional – TO. Fonte – Arquivo Pessoal.

Gabryela Cerqueria Parente 

Discente 2º Série do E.M

“O projeto é muito importante pra mim e para os demais integrantes do grupo. Gosto de pesquisar, estudar a história do universo e compartilhar em outras escolas. Sou fascinada em cada detalhe da astronomia. Quero muito que o nosso projeto tenha continuidade para que possamos levar para outras escolas”.

Figura 5 Apresentação para turmas do Colégio Estadual Pedro Ludovico Teixeira.

Mateus Silva Lopes de Souza 

Discente 2º Série do E.M

A iniciação científica está sendo muito importante para trazer mais interesse aos alunos do ensino médio. Está sendo muito bom estudar sobre o universo de modo dinâmico e interativo”, destacou.

Thalles Rodrigues de Assis

Discente 3º Série do E.M

“Tenho almejado para o futuro ser um universitário, quando entrei no projeto fiquei bastante contente pelas discussões que são feitas nas reuniões e nos planejamentos. Neste contexto, tive a ideia de estudar vídeos aulas de alguns professores pelo Youtube – e outros canais –  e estudar mais sobre o assunto. Por isso, vejo que o projeto e a disciplina são meio de contribuir na minha aprendizagem, incentivando minha curiosidade e ajudando a responder perguntas sobre a humanidade, sobre o universo e sobre a ciência; por fim, gosto muito de participar”.

Tainara Ferreira Mousinho

Acadêmica da Universidade Federal do Tocantins

“Participar do projeto Astronomia: O Universo na Escola me permitiu observar de perto a importância do estudo de astronomia para um melhor desenvolvimento do ensino de Ciências, principalmente nas escolas públicas. Pois, desperta nos alunos a curiosidade, levando -os a pesquisar e estudar para desvendar os mistérios do universo. Assim, foi possível que os alunos com a ajuda do professor levassem a imaginação para outros alunos. Acompanhei duas apresentações do grupo, o qual levou seus resultados e questionamentos, para outros alunos. Despertando e incentivando os demais. Ver a paixão dos alunos pelos estudos da astronomia é encantador e esperançoso, além de incentivar estudantes de Licenciatura, assim como eu que tive a sorte de acompanhar de perto a preparação dos alunos para as apresentações. Além do mais, o acompanhamento e motivação do professor é de extrema importância para a criação de projetos como este. É um lindo projeto (…)

Villeny Alves Silva

Discente 2º Série do E.M

“A iniciação científica veio para fazer parte da nossas vidas para sempre; é essencial para alunos do ensino médio saber sobre o assunto, assim expandimos nossas mentes a novas possibilidades e novos universos; muito importante saber sobre iniciação científica não só pelo universo em questão, não apenas sobre as possibilidades de viver em outros planetas , é também cuidar do nosso planeta para podermos viver em um mundo melhor”.

Demais membros: Guilherme Gonçalves Aires Costa (23.01); Tharlles Rodrigues De Assis (33.01); Késia Rodrigues De Oliveira (23,01); Leilane Gonçalves Pereira (23.01); Yasmin Lopes Santana (23.01); Mateus Silva Lopes de Souza (23.01). 

*Universidade Federal do Tocantins, SEDUC- TO / Mestrando em História das Populações Amazônicas, Porto Nacional – TO, profmachado22@gmail.com

*Universidade Federal do Tocantins, Curso de Licenciatura em História, Porto Nacional – TO, tainaramousinho06@gmail.com 

*Colégio Estadual Angélica Ribeiro Aranha, SEDUC-TO, Porto Nacional- TO

*Colégio Estadual Angélica Ribeiro Aranha, SEDUC-TO, Porto Nacional- TO

*Colégio Estadual Angélica Ribeiro Aranha, SEDUC-TO, Porto Nacional- TO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Top